quarta-feira, abril 26, 2006

O regresso

Pois é, depois de 15 dias sem escrever no blog regresso com muitas histórias para contar. A Páscoa e uma viagem a Barcelona foram os principais responsáveis pela ausência. O objectivo agora é World Domination até as férias grandes.

terça-feira, abril 11, 2006

Gripe das aves? Náááá

Bendita gripe das aves. Acabo de comprar o meu jantar no Jumbo por meia dúzia de tostões e tudo por causa da gripe das aves. Pergunto: para quando uma gripe dos leitões ou uma gripe dos camarões? Ou gripe do porco preto? E gripe de borrego ou carneiro?

Thoughts of a dying atheist

Já que toda a gente põe letras de músicas no blog, não me quero sentir excluído:


Muse - Thoughts of a dying atheist

Eerie whispers
trapped beneath my pillow
won't let me sleep
your memories

and I know you're in this room
I'm sure I heard you sigh
Floating in between
where our worlds collide

scares the hell out of me
and the end is all I can see
and it scares the hell out of me
and the end is all I can see

and I know the moment's near
and there's nothing you can do
look through a faithless eye
are you afraid to die?

it scares the hell out of me
and the end is all I can see
and it scares the hell out of me
and the end is all I can see

It scares the hell out of me
and the end is all I can see
and it scares the hell out of me
and the end is all I can see

Tudo a rezar pelo italianos emigrantes


Segundo o Ministério do Interior e o Corriere della Sera os resultados apurados até agora (quando faltam apenas os votos dos emigrantes) das eleições italianas são:
Senado:
Prodi - 48,95%
Berlusconi - 50,12%
Câmara:
Prodi - 49,8&
Berlusconi - 49,73%
Isto significa que Prodi tem a maioria na câmara (340 deputados em 630) e que no Senado Berlusconi tem 155 deputados contra 154 de Prodi quando faltam apurar 6 deputados de emigração. Os votos dos emigrantes ditarão quem deterá a maioria no Senado. Esperemos que Tony Soprano e companhia vote em consciência...

sexta-feira, abril 07, 2006

300 visitantes

No momento em que escrevo estas linhas 300 pessoas já foram iluminadas pela sapiência deste blog :P

domingo, abril 02, 2006

Democracia no Futebol

Pois é, a democracia. Pelos vistos e segundo os portistas da nossa praça, quando se deu o 25 de Abril foi quando a democracia chegou ao futebol e voilá, o Porto começou a ganhar campeonatos. Antes isso havia um predomínio dos clubes de Lisboa protegidos pelo fascismo. Quando as condições começaram a ser iguais para todos o Porto ganha 15 campeonatos em 31 anos de Liberdade. Realmente uma democracia. Quão espartilhados não deveriam ser durante esses anos de ditadura para sendo uma equipa que ganha metade dos campeonatos que se disputam em liberdade tenham ganho 4 campeonatos em 40 anos de ditadura. Bendita e amada democracia que puseste um clube que nunca ganhava nada a ganhar quase tudo. Mas atenção, repare-se que também a democracia demorou algum tempo a chegar ao futebol. Teve reflexos logo no ano a seguir? Não. No outro? Também não. Foram precisos 4 campeonatos sem Estado Novo para o Porto ganhar um título que lhe fugia à 19 anos. Curioso é notar que é no ano a seguir a entrada de um senhor chamado Pinto da Costa para o departamento de Futebol que o Porto ganha o seu primeiro campeonato no pós-25 de Abril. Mas não interessa. Interessa é que com a chegada da liberdade o domínio deixa de estar nas mãos dos clubes lisboetas e passa a estar dividido por todos.
Estou a formular uma tese na qual sempre que o Porto tem uma equipa razoávelzinha ganha o campeonato. Claro que como qualquer tese também tem as suas falhas. Vamos atentar no ano passado por exemplo - o Porto o ano passado tinha o Seitaridis, o meio campo que tudo indica vai ser titular no Mundial Costinha e Maniche, o Nuno Valente, o Jorge Costa e muitos muitos outros. As únicas mais-valias deste ano são Lucho e Lisandro ( Adrianos, Mareks e porcarias não prestam para nada). Ou seja para mim, em termos de qualidade, o Porto do ano passado não anda muito longe deste. Contudo o ano passado foi dos anos de maior crise que o Porto conheceu e mesmo assim ainda deu para acabar em 2º. Nas provas europeias o ano passado chegou aos oitavos e este ano ficou em último no grupo. A diferença é que este ano está em 1º lugar isolado e o ano passado levava sovas do Nacional em casa. A explicação para isto é uma - o Porto estava em primeiro no campeonato quando um caso que já aí andava levou para prisão preventiva um árbitro de 1º categoria sob a acusação de ter beneficiado o Porto num jogo. Havia também no mesmo processo uma escuta telefónica com o Presidente do Porto a encomendar prostitutas para irem ter ao hotel aonde estava hospedada a equipa de arbitragem. A partir da divulgação desses factos e da prisão do alentejanito é que o Porto começou a ser "roubado". E ser "roubado" era dar cartões vermelhos ao McCarthy sempre que ele se lembrava de dar cotoveladas nas pessoas. Uma injustiça. Uma equipa daquelas recheada de talento e nem sequer o campeonato ganhou. Que diriam as equipas treinadas por António Oliveira e onde pontificavam talentos como Paulinho Santos, Domingos ou João Pinto, jogadores sempre desprezados pela comunicação social lisboeta.
Tornei-me adepto do Sporting quando o clube estava praí há 8 anos sem ganhar o campeonato e estive mais 10 sem ver nada. Sobrtevivi, eu e os outros. Agora o que eu quero ver é quando o xôr Jorge Nuno se retirar e o Porto naturalmente começar a enfrentar aquilo que os outros clubes suportam - presidentes incompetentes, dissidências à direcção, prejuízo nas arbitragens - e deixar de ganhar campeonatos, quantos anos sobreviverão os adeptos do Porto sem ganhar uma tacinha.
PS - o Sporting tem hoje uma consistência defensiva como eu confesso que nunca tinha visto ( no Sporting, claro está). Já fomos campeões e já tivemos grandes defesas mas como este ano nunca tinha visto. Isto claro está não é obra do acaso e se a príncipio não fui grande defensor da contratação de Paulo Bento dou hoje a mão à palmatória. Não são os anos nem o nível de treinador, são os resultados.

sábado, abril 01, 2006

Curtas

Algumas curtas declarações porque o dia assim o exige:
- Gosto muito das crónicas do Luís Delgado e do João César das Neves no DN;
- Acho a análise política do José Pacheco Pereira e do José Manuel Fernandes muito interessante e racional;
- Acho o João Pereira Coutinho um grande pensador e um grande comentador político;
- O Acidental é o meu blog preferido e tem sem qualquer sombra de dúvida os melhores bloggers. Também gosto muito do Blasfémias e do Abrupto.
- Acho o Mourinho um grande homem e o novo modelo de sucesso português;
- Acho que o Gato Fedorento na RTP perdeu a graça toda;
- O Benfica ainda tem grandes hipóteses de ganhar o campeonato e tem uma oportunidade grande de passar às meias-finais da Champions esta quarta;
- Acho um piadão ao Pinto da Costa e ao Valentim Loureiro. O José Veiga também tem umas tiradas interessantes.
- o Alberto João Jardim é um grande político. Só as pessoas do contnante é que ainda não perceberam;
- Acho que a carreira política do Santana Lopes ainda não acabou e ele ainda vai ter um lugar de protagonismo na cena política portuguesa;
- Acho o Cavaco Silva o homem certo no lugar certo;
- Tenho uma grande simpatia pelo CDS;
- Acho que os líderes do CDS e do PSD tem uma grande hipótese de chegarem a 2009 e obterem um grande resultado nas legislativas.

quinta-feira, março 30, 2006

Vai apanhar bonés


Por apenas $17.99, compre já o magnífico boné com a mais brilhante dedução política dos últimos tempos.

segunda-feira, março 27, 2006

Taxistas e opinion-makers

Ler as colunas de opinião do Luís Delgado, do João César das Neves e do José Manuel Fernandes lembra-me sempre aquele sketch do Gato Fedorento ainda no tempo do Perfeito Anormal. O sketch era sobre ladrões, cadeias e autarquias mas também se aplica a opiniões. Eu adapto para - em Portugal, pessoas que dizem barbaridades vão conduzir táxis, pessoas que dizem grandes barbaridades vão escrever uma coluna num jornal.

Uahahahahah

O último texto do João César das Neves no Público é delicioso. Começo a acreditar que o Diário de Notícias, vendo o efeito do jornal satírico O Inimigo Público no seu concorrente decidiu também apostar em textos humorísticos. Assim, para contrapôr a Vitor Elias e António Marques o Diário de Notícias aposta em João César das Neves e Luís Delgado.
A base da sua última crónica é qualquer coisa como isto - a religião ainda está bastante presente nos nossos tempos só que mais encapuçada. Qualquer coisa como isto:
- Ouves música? Então acreditas em Deus.
- Preferes algumas músicas a outras? Então acreditas em Deus.
- Vais a discotecas? Então acreditas em Deus.
- Amas? Então acreditas em Deus.
Ele consegue ir até ao ponto de comparar Elvis Presley e Bryan Adams com o Livro dos Salmos. Mas a cereja em cima do bolo é o positivismo, que tem a ciência como o seu único Deus e Marx, Freud e Sartre como os seus profetas, ser o grande culpado do Holocausto (?!!!) da bomba (!!!!!!!!!) e do gulag(?!!). E da fome em África, da pobreza e das derrotas do Sporting, se me permite acrescentar. Sim essa mesma, a ciência, essa filha da puta, que só tem estragado a vida a toda a gente. E os cientistas, esses cabrões ateus que só sabem é inventar causas para o que Deus faz neste mundo. Lei da gravidade? Teoria da relatividade? Física Quântica? Teoria da evolução das espécies de Darwin? Tudo invenções. Todos sabemos que é Deus que está por detrás de todos os fenómenos. Aliás nem sei porque se gasta tanto dinheiro em cientistas. Bastava ir à missa uma ou duas vezes por semana para tudo se resolver.
JCN é sem qualquer margem para dúvidas, o melhor escritor humorístico do País. Põe-te a pau Ricardo Araújo Pereira.